Scroll Top

Green Tip do Mês

 

2015

  

DEZEMBRO:

Criar um Natal mais sustentável é simples, embora muitas pessoas ainda não reconheçam a importância do contributo de algumas ideias para a sustentabilidade. Por exemplo, na preparação das refeições podem ser feitas várias escolhas sustentáveis, como dar preferência aos produtos nacionais ou regionais, idealmente com poucas embalagens, adquiridos no mercado local e, se possível, de origem biológica. Para embrulhar as prendas, em alternativa ao usual papel de embrulho podem ser utilizados restos de outros materiais, por exemplo tecidos patchwork, restos de papel de parede, caixas de cartão. Alguns destes embrulhos podem ainda ser decorados com desenhos de crianças e/ou com outros elementos que podem ser reciclados / reutilizados. Ao mesmo tempo que se criam embrulhos únicos e personalizados e momentos de criatividade em família, promove-se a reutilização e a prevenção da produção de resíduos. Vamos todos contribuir para um Natal mais sustentável! 

 

 

NOVEMBRO:

No mês de novembro começa a 21ª Cimeira do Clima em Paris - Conferência das Partes (COP 21) (http://www.cop21.gouv.fr), que tem como principais objetivos estabelecer um novo acordo internacional sobre o clima para diminuir a emissão de gases com efeito estufa e o aquecimento global, limitar o aumento da temperatura global em 2º C até 2100 e avançar com medidas de adaptação às mudanças que estão a ocorrer - seca, inundações e subida do nível do mar (http://unfccc.int/meetings/paris_nov_2015/meeting/8926.php).

 

Cientes de que o contributo de todos nós, na casa e trabalho, faz a diferença, nunca é demais relembrar alguns gestos e ações muito simples que fazem a diferença:

(1) Desligue as luzes não necessárias;
(2) Utilize persianas/estores para gerir a luz e temperatura de um espaço;
(3) Ajuste adequadamente a temperatura do ar condicionado e não deixe ligado quando não for necessário /utilizado;
(4) Sempre que possível prefira escadas a elevador;
(5) Reduza o número de impressões e prefira, sempre que possível, o modo de poupar tinta, imprima frente e verso e em modo rascunho;
(6) Prefira papel com gramagem inferior e, sempre que possível, papel reciclado;
(7) Desligue o computador e o monitor no final de cada utilização;
(8) Envie, sempre que possível/adequado, documentos em suporte eletrónico em alternativa à versão papel;
(9) Ative o modo de poupança de energia do seu computador;
(10) Substitua as lâmpadas incandescentes por lâmpadas fluorescentes compactas (LFC), embora mais dispendiosas as LFC compensam o investimento;
(11) Escolha aparelhos de climatização de classe A (A, A+ ou A++);
(12) Isole portas e janelas e opte por vidros duplos;
(13) Reduza a temperatura de lavagem da roupa e utilize a máxima carga;
(14) Desligue os aparelhos/equipamentos da ficha - não os deixe em stand-by;
(15) Escolha equipamentos com selo Energy Star®, que apresentam melhores desempenhos energéticos;
(16) Retire o telemóvel da tomada assim que já estiver carregado;
(17) Prefira produtos com menos embalagens e recarregáveis;
(18) Evite o desperdício: (i) na cozinha use a criatividade para aproveitar os restos de comida e compre apenas o necessário; (ii) ofereça brinquedos e roupas que já não usa;
(19) Opte pelos transportes coletivos, sempre que for possível;
(20) Controle o ar condicionado do carro: quando circular em estrada opte pela abertura das janelas e em auto-estrada prefira a entrada de ar através das ventoinhas. (Fonte: Guia Dia-a-Dia Carbono Zero. Caixa Geral de Depósitos, 2012).

 

 

OUTUBRO:

A 16 de Outubro comemora-se mais um Dia Mundial da Alimentação (World Food Day), este ano com o tema “Proteção Social e Agricultura: quebrando o ciclo da pobreza rural” (http://www.fao.org/world-food-day/home/en/). A iniciativa pretende envolver a nova geração - "Zero Hunger Generation" - para o desafio da implementação da nova Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que visa ao longo dos próximos 15 anos erradicar a fome e a pobreza.

A par deste flagelo os números do desperdicio alimentar falam por si (http://www.unep.org/wed/2013/quickfacts/):
• Cerca de 1/3 dos alimentos produzidos para consumo humano todos os anos, a nível mundial - cerca de 1,3 bilhões de toneladas - é desperdiçado;
• Anualmente os consumidores dos países riscos desperdiçam quase tantos alimentos (222 milhões de toneladas) como toda a cadeia de produção de alimentos da África Sub-Sariana (230 milhões de toneladas);
• A quantidade de alimentos perdida ou desperdiçada anualmente é equivalente a mais de metade da colheita anual de cereais em todo o mundo (2,3 bilhões de toneladas em 2009/2010).


O desperdicio alimentar e os resíduos produzidos também contribuem para o desperdicio de recursos (água, solo, energia, trabalho e capital), produzem emissões de gases com efeito de estufa, contribuindo para o aquecimento global e alterações climáticas.
Junte-se a esta causa e no seu dia-a-dia evite o desperdicio alimentar.

 

  

SETEMBRO: 

Setembro é o mês do regresso de férias, do recomeço de um novo ano com energias retemperadas e a altura ideal para pôr planos de férias em ação. 

Queremos aproveitar esta oportunidade para aderir à Semana Europeia da Mobilidade e o Dia Europeu Sem Carros deste ano que tem por tema "Escolhe. Muda. Combina." [http://www.mobilityweek.eu/join-us/theme-2015/]. A iniciativa, que se comemora entre 16 a 22 de setembro, tem como objetivo promover a multimodalidade e sensibilizar os cidadãos para a variedade dos meios de transporte à disposição e a melhor forma de se combinarem entre si, evitando o recurso recorrente ao "carro". Partilhamos o vídeo do projeto "Do The Right Mix" [https://www.youtube.com/watch?v=KUSBEeEQOvw], que este ano também se juntou a esta iniciativa e que se estende ao ano inteiro.

Desafiamo-lo também a repensar a sua rotina de mobilidade, ponderando o uso de outras alternativas (complementares) ao carro. Enquanto isso, durante a sua estadia nas Areias, temos disponíveis bicicletas tradicionais e elétricas para descobrir e usufruir da nossa envolvente a pedalar.

  

AGOSTO:

Neste mês tipicamente de férias deixamos algumas tips para umas férias mais sustentáveis:

- Visite destinos com valor de conservação, como parques naturais e dedique-se ao turismo de natureza mas não se esqueça: observe a vida natural/selvagem sem interferir e perturbar a dinâmica natural. Aproveite e participe e contribua em projetos de conservação locais;
- Planeie ao detalhe a sua viagem e conheça antecipadamente o destino selecionado de modo a tornar mais enriquecedora a viagem: os parques e recursos naturais da área, a cultura local e os principais hábitos da população;
- Use pouca bagagem, apenas o essencial para tornar a sua viagem mais leve;
- No local eleito para férias, escolha alojamentos sustentáveis que incluam nas suas práticas medidas de redução da pegada ecológica e de envolvimento e suporte às iniciativas e comunidades locais;
- Se possível explore a ideia de viajar por opções alternativas ao avião ou carro, por exemplo através de comboio ou bicicleta, que permitem conhecer em detalhe o destino eleito e reduzir a pegada de carbono associada à viagem;
- Ao comprar lembranças locais, esteja atento à sua composição. Em muitos locais estas lembranças são feitas de espécies protegidas e/ou em vias de extinção.
- Aproveite e nas suas refeições de férias conheça os pratos locais e escolha ingredientes locais e de acordo com a estação do ano;
- Não se esqueça: mesmo em férias poupe água, eletricidade, reduza a produção de resíduos e faça a separação seletiva;
- Nas suas diversas atividades de verão poupe nas garrafas de água de plástico e use a sua garrafa de água reutilizável;
- Relaxe e tente separar-se dos seus dispositivos eletrónicos e não se esqueça de desligar todos os equipamentos das tomadas - os consumos vampiro podem ser significativos!

Desejamos-lhe umas férias relaxantes e sustentáveis!

 

Fontes: IUCN (http://www.iucn.org)

 

 

JULHO:

Prevê-se que até 2030 a procura de água exceda em 40% os recursos viáveis, se os padrões de consumo/utilização se mantiverem.
Alguns números são elucidativos da situação mundial a nível da disponibilidade de água: Cerca de 1 bilhão de pessoas não têm acesso a água potável, 1,2 biliões de pessoas vivem em áreas de escassez física e 500 milhões de pessoas estão a aproximar-se desta situação. Os países têm vindo a adotar medidas para enfrentar a escassez de água, como é o caso Grã-Bretanha que instalou uma unidade de dessalinização e prevê a construção de mais e o Brasil adotou medidas de racionamento de água. Na verdade a água limpa e potável é escassa. Nos países desenvolvidos verificam-se perdas até 30% da água doce devido a fugas e nas grandes cidades as perdas podem atingir 40% a 70%.

 

A atuação de cada um de nós faz a diferença! Deixamos algumas dicas para um uso mais racional da água:

• Feche bem as torneiras para evitar fugas;
• Repare de imediato qualquer fuga (uma fuga pode desperdiçar vários milhares de litros de água por ano);
• Use redutores de água nas torneiras e chuveiros para reduzir o consumo;
• Na lavagem da loiça à mão não use água a correr continuamente;
• Use a máquina de lavar louça com cargas completas;
• Ajuste os tempos e quantidade de água utilizados na rega às condições meteorológicas.
• Na lavagem dos dentes, feche a torneira enquanto escova os dentes e poupará cerca de 15 l de água por minuto (cerca de 750 litros por semana para uma família de 4 pessoas);
• Quando lavar as mãos, feche a torneira enquanto ensaboa as mãos;
• Cozinhe os alimentos com a menor quantidade de água possível, poupa água e ajuda a reter os nutrientes;
• Recolha a água de lavar a fruta e legumes e reutilize-a para regar as plantas;
• Tome um duche de 5 minutos em alternativa a um banho (um banho requer mais de 260 litros de água);
• Ensine as crianças a fechar bem as torneiras após cada utilização.

 

Fontes:

http://thewaterproject.org/water_conservation_tips
http://www.un.org/waterforlifedecade/scarcity.shtml
http://www.theguardian.com/sustainable-business/2015/jun/16/six-things-business-needs-to-know-water-sustainability
http://wateruseitwisely.com/100-ways-to-conserve/?view=list 

 

 

JUNHO:

PEGADA DE PLÁSTICO!

O impacte do plástico nos ecossistemas mundiais está a aumentar.
Um estudo recentemente realizado revelou que existem mais de 5 triliões de objetos de plástico no oceano, sendo a maioria decorrente de embalagens de produtos alimentares e de vestuário. Estima-se que cerca de 10 a 20 milhões de toneladas de plástico são anualmente encaminhados para os oceanos, com um custo anual em termos de danos ambientais aos ecossistemas marinhos, de 13 biliões USD.

As peças maiores podem estrangular ou enredar os organismos marinhos. Por outro lado, as micro-peças podem ser ingeridas por organismos aquáticos, entrando desta forma na cadeia alimentar e evoluindo até aos seres humanos, que se alimentam destes organismos. O plástico contém diversos produtos químicos e quando em ambiente aquático tem a capacidade de atrair poluentes. Viaja com as correntes oceânicas ao longo dos oceanos, pelo que hoje em dia são escassos os locais a nível mundial que não estão invadidos com este material.

Anualmente são produzidas a nível global cerca de 280 milhões de toneladas de plástico, sendo uma pequena fração reciclada. Dados referem que a nível mundial cerca de 85% dos resíduos de plástico não são reciclados. As Areias do Seixo estão alerta para esta questão, implementando medidas com vista à redução da pegada de plástico, como é o caso da política de gestão de resíduos que assenta em primeiro lugar na prevenção da produção de plástico, na reutilização sempre que possível/adequado e na separação seletiva e posterior valorização deste material. A política de compras das Areias inclui igualmente critérios que contribuem para a redução da pegada de plástico.

Tendo em conta as reconhecidas vantagens que o plástico tem na vida diária, o desafio que deixamos este mês passa por rever como reduzir a pegada de plástico de cada um de nós: 1 - reduza o consumo de plástico nas atividades diárias e 2 - separe/recicle o plástico inevitavelmente consumido/utilizado.

 

Referências:

· UNEP (2014) Valuing Plastics: The Business Case for Measuring, Managing and Disclosing Plastic Use in the Consumer Goods Industry.
· http://www.theguardian.com/
· http://journals.plos.org/
· http://www.plasticdisclosure.org/

 

MAIO:

Já conhece a nossa horta orgânica? Convidamos a conhecer a nossa horta baseada nos princípios sustentáveis da permacultura: através de uma visita guiada com os nossos agricultores, da participação numa atividade "com as mãos na terra" ou através do nosso mais recente vídeo "Areias do Seixo Permaculture" - ver vídeo.

A horta é um elemento central na nossa política de sustentabilidade, permitindo o funcionamento do nosso ciclo sustentável que se inicia com o encaminhamento dos resíduos orgânicos do nosso restaurante para a unidade de compostagem que temos nas Areias do Seixo; na utilização do composto produzido (sem fertilizantes ou aditivos químicos) na horta orgânica; utilização das culturas obtidas na horta nos menus sazonais do nosso restaurante.

Maioritariamente a horta fornece legumes (rabanetes, cenouras, alfaces, couves,...), ervas aromáticas (coentros, salsa, cebolinho, hortelão, entre muitas outras), frutos (morangos, ameixas,...) e muitos outros ingredientes como flores comestíveis e bagas, que fornecem uma panóplia de diversidade e criatividade ao menu do restaurante das Areias do Seixo. Além dos nossos produtos orgânicos o restaurante utiliza também nas suas ementas outros produtos orgânicos criados localmente. Estamos a iniciar a produção das nossas próprias sementes orgânicas, de modo a incrementarmos a percentagem dos produtos orgânicos criados na nossa horta no menu do restaurante do Hotel. Marque uma visita e venha conhecer a nossa "floresta comestível"!

 

ABRIL:

A água doce é um recurso escasso e a procura continua a aumentar. Em diversos locais a pegada hídrica mundial já ultrapassou os níveis sustentáveis.
A água é consumida para beber, cozinhar, lavar e de forma significativa na produção de bens e serviços consumidos por todos nós (alimentos, papel ou vestuário à base da algodão).

Sabia que:
• Para a produção de 1kg de carne de vaca são necessários 16.000 litros de água, quantidade muito superior à necessária para a produção da mesma quantidade de carne de galinha/frango, porco ou carneiro?
• Para a produção de 1 kg de algodão são necessários 10.000 litros de água (para a produção de uma t-shirt de algodão de 250 gramas são necessários 2.500 litros)?
• Para a produção de 1 kg de café torrado são necessários 18900 litros de água (uma chávena de café de 125 ml necessita de 7 gramas de café torrado e de 130 litros de água)?
• Anualmente na União Europeia são captados cerca de 247.000 milhões de m³ das águas superficiais (ribeiras, rios, lagos) e subterrâneas?

A pegada hídrica é um indicador de uso da água, que inclui o consumo direto e indireto de água de um consumidor ou produtor. Define-se como o volume total de água doce que é utilizado para produzir os bens e serviços consumidos por esse consumidor (indivíduo ou comunidade) ou produzidos pelo produtor (empresa). A pegada hídrica média de Portugal é 2505 m³/ano per capita (sendo o valor global médio utilizado para comparação de 1385 m³/ano per capita) e 59,9% desta pegada está fora do país (isto é, deve-se aos produtos que são importados).

Todos nós consumidores podemos ter um papel ativo na redução da pegada hídrica do país, reduzindo a nossa pegada hídrica. A pegada direta através de medidas de redução de consumo de águas nas nossas casas (redutores de caudal, usar menos água nas regas do jardim, fechar a torneira durante a lavagem dos dentes, não despejar químicos nas canalizações, etc). A pegada indireta é superior à direta e as ações de redução podem passar por substituir um produto com uma elevada pegada hídrica por outro com menor pegada.

Desde 2012 que os consumos de água nas Areias do Seixo têm vindo a decrescer, acompanhados de um aumento do número de diárias. Implementámos desde a construção e continuamos a adotar várias medidas que contribuem para esta realidade, nomeadamente:
• Sistema de captação e armazenamento de águas pluviais e excedentárias da rega, que permite a auto-suficiência para a rega das zonas ajardinadas e na nossa horta;
• Presença de redutores de caudal;
• Descargas sanitárias com válvula economizadora de água;
• Monitorização em tempo real do consumo de água pelo sistema de automação;
• Efluentes produzidos são encaminhados para tratamento no coletor municipal.

Calcule a sua pegada e saiba mais sobre a pegada hídrica em:
http://www.waterfootprint.org

 

MARÇO:

A sociedade em que vivemos caracteriza-se pelo consumo exponencial de recursos valiosos e finitos e pela produção significativa de resíduos, que em muitos casos ainda são matérias-primas com valor, podendo ser prolongada a sua utilização. Fazer compras sustentáveis contribui para a redução desta tendência, garantindo que pequenos atos praticados por cada um de nós no dia-a-dia façam a diferença na transição para uma economia sem resíduos e desperdício. Na altura de fazer compras lembre-se:

1 - pense antes de comprar
2 - compre local
3 - compre reciclado
4 - compre produtos com menos embalagens
5 - compre produtos de limpeza biodegradáveis
6 - compre equipamentos elétricos/eletrónicos eficientes

Março é o mês em que começa a primavera e com ela chegam as frutas mais variadas e frescas, como os morangos. Comece por pôr em prática alguns destes princípios quando, por exemplo, pensar comprar morangos: veja a origem, a quantidade que necessita e o tipo de embalagem: compre morangos com origem local para reduzir a pegada ambiental, compre a quantidade que vai realmente consumir para evitar o desperdício e compre a granel para evitar a produção de embalagens que vão gerar resíduos.

As Areias do Seixo têm uma politica de compras sustentáveis, venha conhecê-la!

 

FEVEREIRO:

A comissão Europeia lançou no início de 2015 um conjunto de medidas de eficiência energética orientadas para a poupança de energia nos agregados familiares europeus. As medidas entraram em vigor a 1 de janeiro de 2015 e abrangem a inclusão de rótulos energéticos em aparelhos de cozinha como fornos, standby automático para máquinas de café, impressoras, modems e outros equipamentos de rede, entre outras [1].

Desde 2011 que os consumos de energia elétrica nas Areias do Seixo têm vindo a decrescer, acompanhados de um aumento do número de diárias. Temos vindo a adotar várias medidas que contribuem para esta realidade, nomeadamente a substituição do sistema de iluminação por LEDs, o investimento em mais painéis fotovoltaicos que produzem energia para consumo na unidade e a sensibilização e adesão dos nossos colaboradores para uma atuação sustentável no desempenho das suas funções no hotel. Vamos continuar a implementar medidas que visem a eficiência energética da unidade e a redução dos consumos. Continuamos a contar com todos os nossos colaboradores e hóspedes para que este objetivo seja uma realidade.

[1] Saiba mais em: http://ec.europa.eu/energy/en/news/eu-energy-efficiency-measures-save-households-%E2%82%AC45-year.

 

JANEIRO:

A economia circular é um dos tópicos incontornáveis em 2015 e deve estar na agenda de cada um de nós!
A atual economia baseada num modelo linear de negócios está ameaçada devido à escassez de recursos naturais, impondo-se a transição para uma economia assente na restauração e regeneração, que garanta a eficiência na utilização de recursos naturais em alternativa ao conceito de "fim de vida" - i.é, manter as matérias-primas e produtos num circuito produtivo pelo tempo que for possível, tornando a indústria menos dependente de recursos naturais. Inclui a transição para o uso de energias renováveis, eliminação do uso de tóxicos, utilização eficiente de água e energia e para a crescente eliminação da produção resíduos através de abordagens distintas ao nível do design de materiais, produtos e sistemas. Números recentes indicam que a transição para uma economia circular pode poupar cerca de $500m (£296m) em materiais, criar 100.000 empregos e prevenir a produção de cerca de 100m toneladas de resíduos nos próximos 5 anos [1]. Existem diversos exemplos de empresas a nível mundial que estão a desenvolver a transição para uma economia circular e que abrem uma ampla possibilidade na reutilização de materiais e eliminação de resíduos (a eliminação das embalagens de produtos, a utilização de resíduos de café na alimentação, entre outros exemplos) [2].

Nas Areias do Seixo aderimos a este conceito e a esta abordagem incontornável e lançámos em 2015 o desafio de uma política de zero resíduos para aterro. Além desta meta, a nossa política de gestão de resíduos desde início estabelece como prioridades a prevenção da produção e a reutilização de materiais sempre que possível, como é o caso dos objetos/materiais que poderiam ser considerados resíduos mas que utilizamos em peças de decoração na unidade. Explore este conceito!

[1] Ellen MacArthur Foundation. Towards the circular economy. Economic and business rationale for an accelerated transition. 2013
[2] The Guardian [http://www.theguardian.com/sustainable-business/series/circular-economy] (Informação consultada em janeiro 2015).

 

2014

 

DEZEMBRO:

Tornar o Natal mais sustentável é o desafio que lançamos para este ano. Existem muitas ideias que pode explorar: por exemplo, ao confeccionar as suas refeições pode fazer várias escolhas sustentáveis como dar preferência a produtos nacionais ou regionais, com poucas embalagens, comprados no comércio local e ainda, se possível, de origem biológica. Outra forma de tornar o seu Natal mais sustentável passa por trocar o usual papel de embrulho por embrulhos sustentáveis e amigos do ambiente, por exemplo, pode utilizar os retalhos de tecidos guardados, peças de roupa ou mesmo sobras de papel de parede, reciclar caixas de papel ou cartão e pedir às crianças para colorir e enfeitar com outros elementos decorativos que possam ser reciclados/reutilizados. Em alternativa, compre rolos de papel reciclado em cores lisas e decore com botões, feltro, missangas, desenhos, folhas, ... 

 

NOVEMBRO:

Entre 22 e 30 de Novembro realiza-se a Semana Europeia da Prevenção de Resíduos (SEPR), uma iniciativa europeia, com o objetivo de sensibilizar os cidadãos para a problemática dos resíduos, reforçando a necessidade de prevenir a sua produção. São várias as ações que podem ser adotadas no dia a dia que visam a prevenção da produção de resíduos, alguns exemplos destas ações passam pela utilização de produtos de longa duração em alternativa aos descartáveis; combater o desperdício alimentar escolhendo produtos com prazo de validade mais próximo; dar uma segunda vida à roupa que já não utiliza, doando a mesma para associações ou instituições de caridade em alternativa a ser encaminhada para o lixo; reutilizar/arranjar os equipamentos elétricos e eletrónicos [1]. Nas Areias do Seixo a política de gestão de resíduos assenta numa primeira fase na prevenção/redução da produção: são efetuadas compras a granel com vista à prevenção da produção de resíduos, a comunicação é efetuada sem recurso a papel, utilizando meios eletrónicos ou mensagens em ardósia; são reutilizadas embalagens de fornecedores para utilidades diversas; procede-se à separação selectiva de todos os resíduos produzidos na unidade, destacando-se o encaminhamento da fração orgânica para o sistema de compostagem existente na propriedade. Estes são apenas alguns exemplos... Venha conhecer melhor a política de gestão de resíduos das Areias do Seixo e inspire-se para o seu dia-a-dia: seja criativo e contribua para um mundo com menos resíduos!

Fonte:

[1] APA www.apambiente.pt

 

OUTUBRO:

Upcycling: "é o processo de transformar resíduos (materiais), em novos produtos ou em produtos de maior valor" [1]; "é reciclagem, mas com uma diferença: transformar lixo em peças altamente desejáveis" [2]; "manter materiais com valor em ciclos contínuos de utilização/re-utilização"; "garantir a melhoria da qualidade do produto entre ciclos de utilização" [3].  Existem vários exemplos deste conceito que é já uma tendência a nível internacional e já impulsiona um novo segmento da economia, com um crescente número de empresas de diferentes sectores de atividade dedicadas à implementação desde conceito:  a indústria da moda, onde são reutilizados resíduos têxteis para produção de novas roupas com design (fashion designed clothes), ou mesmo o caso da Patagonia - retalhista de atividades outdoor, que tem em curso um programa que transforma as garrafas de plástico em casacos de lã [4],[5]. O sector do mobiliário e decoração, em que são reutilizados resíduos para produção de novas peças de mobiliário, decoração ou candeeiros. A outro nível refira-se o recente caso da companhia aérea Southwest Airlines, que decidiu remodelar o material dos assentos dos aviões, substituindo-o por um material mais durável e leve. A companhia tinha como opção dar um destino final a 80 000 assentos de cabedal que iriam provavelmente para incineração mas em alternativa aderiu à tendência de upcycling e transformou o material dos assentos em mochilas, bolas, entre outros artigos [5], [6].

Nas Areias do Seixo o conceito de upcycling esteve presente desde a concepção do projeto, acompanhando o nosso dia-a-dia e desafiando continuamente a nossa criatividade para criar novas soluções/novos usos para materiais/produtos com valor.  Exemplos como a iluminação exterior, assegurada por candeeiros elaborados a partir de sobras de tubos de canalização, reutilização de materiais danificados (ex. árvores caídas) durante o temporal que afectou a região em Dezembro de 2009, nomeadamente reutilização das raízes das árvores para construir o "círculo do fogo" e utilização dos troncos  no pavimento. Os troncos foram também utilizados no piso da estufa. 

Venha conhecer mais exemplos de upcycling nas Areias e torne-se num "upcycler"…é só preciso alguma imaginação!

Fontes: 

[1] Forbes, artigo de Peter Kelly-Detwiler, 31/7/2014  | http://www.forbes.com/sites/peterdetwiler/2014/07/31/with-operation-luvseat-southwest-airlines-plans-to-upcycle-43-acres-of-used-seat-leather/; 

[2] The Guardian, artigo de Charlotte Abrahams, 27/6/2009 | http://www.theguardian.com/lifeandstyle/2009/jun/27/finders-keepers-furniture-recycling;

[3] Guardian Professional, artigo de William McDonough, 6/12/2013 | http://www.theguardian.com/sustainable-business/upcycle-economic-growth-innovation

[4] http://www.patagonia.com/us/patagonia.go?assetid=2791

[5] The Guardian, artigo de Elisabeth Braw, 15/7/2014 | http://www.theguardian.com/sustainable-business/southwest-airlines-upcycle-leather-seats-aeroplane-bags-shoes-balls?CMP=new_1194

[6] Forbes, artigo de Peter Kelly-Detwiler, 31/7/2014 | http://www.forbes.com/sites/peterdetwiler/2014/07/31/with-operation-luvseat-southwest-airlines-plans-to-upcycle-43-acres-of-used-seat-leather/

 

SETEMBRO:

"As nossas ruas, a nossa escolha" é o tema de 2014 da semana europeia da mobilidade, que decorre de 16 a 22 de Setembro. Este tema encoraja as pessoas a criar o tipo ideal de cidade na qual querem viver. Adira a este movimento na sua cidade ou enquanto hospedado nas Areias do Seixo. Além das tradicionais bicicletas, estão também disponíveis bicicletas elétricas para desfrutar de longos e agradáveis passeios na envolvente às Areias. Também Torres Vedras e  Santa Cruz já aderiram às bicicletas urbanas, onde se encontra disponível um sistema de bicicletas públicas de utilização universal – as "Agostinhas".

 

AGOSTO:

Para aproveitar as suas férias e estadia, sugerimos um passeio para conhecer o ambiente natural na envolvente das Areias do Seixo. Complemente esta experiência vendo o nosso documentário natureza  "Areias do Seixo by Nature", acerca da fauna e flora existente na envolvente. Parta à descoberta... mas lembramos que estamos inseridos numa área natural com espécies e habitats protegidos e como tal, devemos interferir o menos possível nesta envolvente e apenas levar fotografias e sensações como recordação: desfrute da brisa marítima, do cheiro a maresia, o som das ondas a rebentar, da areia fina nos pés, do chilrar dos pássaros e dos trilhos ainda intocáveis por descobrir... é inesquecível!

 

JULHO:

... Já ouviu falar de consumos vampiro?

Aparelhos como televisores, microondas, scanners e impressoras usam energia em stand by, mesmo quando desligados. Alguns carregadores continuam a utilizar pequenas quantidades de energia, mesmo quando estão apenas ligados à tomada (um bom indicador é se um carregador está quente ao toque). Estudos revelaram queos consumos vampiro são responsáveis por 5-10% do total da eletricidade consumida em residências e representa cerca de 1% das emissões de dióxido de carbono do mundo. (Fonte:http://www.green.harvard.edu/)

 

JUNHO:

No mês em que se celebra o Dia Mundial do Ambiente, convidamo-lo a aderir a um estilo de vida mais sustentável. Este ano o Dia Mundial do Ambiente (5 de junho) é dedicado às pequenas ilhas, ameaçadas pelo aumento do nível do mar em consequência das alterações climáticas e da emissão de gases com efeito de estufa, nomeadamente dióxido de carbono (CO2) que é produzido maioritariamente pelas atividades humanas. Nas Areias do Seixo temos como objetivo a contínua redução da nossa pegada de carbono, através da adoção de medidas ao nível do uso eficiente de energia, da iluminação de baixo consumo e da utilização de fontes renováveis como os painéis fotovoltaicos e painéis solares. Junte-se às Areias do Seixo no contributo para um planeta mais sustentável: adote no seu dia a dia ações para a redução da sua pegada de carbono e não se esqueça…partilhe esta ideia!

 

MAIO:

As medidas implementadas nas Areias do Seixo visam reduzir a pegada ecológica, apostando num consumo racional de recursos e sempre que possível em medidas de redução na fonte. Em termos energéticos o Hotel dispõe de painéis fotovoltaicos que produzem energia consumida no Hotel, painéis solares para produção de águas quentes, iluminação Led/baixo consumo no interior e exterior da unidade, monitorização e gestão dos consumos através de um sistema de automação. Convidamo-lo a conhecer em detalhe o programa de redução da pegada energética do Hotel.

 

ABRIL:

Cerca de 50% dos alimentos comestíveis e saudáveis ​​é desperdiçado anualmente na UE, em residências, supermercados, restaurantes e ao longo da cadeia de abastecimento alimentar, enquanto 79 milhões de cidadãos da UE vivem abaixo da linha da pobreza e 16 milhões dependem de ajuda alimentar de instituições de caridade. O sector da hotelaria e restauração está intrinsecamente associado a esta temática, sendo crescentes as iniciativas para a redução do desperdício alimentar no sector. Envolva-se e conheça as práticas sustentáveis das Areias do Seixo para evitar o desperdício alimentar: compras sustentáveis, gestão sustentável da  horta que fornece o restaurante com frutas e legumes, encaminhamento das sobras alimentares para a unidade de compostagem do hotel e encaminhamento das sobras alimentares em perfeito estado de salubridade, produzidas em eventos, para os sem abrigo de Lisboa. 

 

MARÇO:

Não há nada como acordar numa manhã de primavera e sair para o jardim para colher legumes e aromáticas. Areias do Seixo convida os hóspedes a visitar a nossa horta orgânica e participar nas atividades agrícolas. Sinta a terra com as mãos!

 

FEVEREIRO:

Comprar produtos da época localmente, é uma forma saudável e deliciosa para reduzir a pegada ecológica e reduzir a poluição atmosférica associada ao transporte.

As Areias do Seixo proporciona aos seus hóspedes e colaboradores frutas e legumes da época e locais, apanhados directamente da horta biológica. Além disso, o hotel compra a maioria dos seus produtos alimentares em fornecedores locais.

 

JANEIRO:

Em 2011, 34% das fontes de energia usadas nas Areias do Seixo são renováveis, evitando-se a emissão de cerca de 7,8 toneladas de CO2 anualmente.

GuestCentric - Hotel website & booking technology
VeriSign Secured, McAfee Secure, W3C CSS compliant